Skip to content

Restauração da Independência de Portugal: um capítulo crucial na história lusa

No século XVII, Portugal viveu um período de agitação política e mudanças significativas na sua história. Esse período culminou na Restauração da Independência, um evento de grande importância que marcou a recuperação da soberania do país após 60 anos sob o domínio da coroa espanhola.

Tudo começou em 1580, quando Portugal mergulhou numa crise de sucessão. Com a morte do rei D. Sebastião na Batalha de Alcácer-Quibir, a coroa portuguesa ficou vaga e deu origem a uma disputa de sucessão. Filipe II de Espanha, conhecido como Filipe I de Portugal, aproveitou-se dessa situação e reivindicou o trono português, unificando os dois reinos sob a coroa espanhola.

Durante décadas, Portugal permaneceu sob o jugo espanhol, o que gerou descontentamento crescente entre a população. A opressão fiscal, a perda de autonomia política e o impacto na economia portuguesa levaram muitos a questionar a dominação espanhola. Esse sentimento de resistência gradualmente transformou-se num movimento de restauração da independência.

O ponto de viragem ocorreu em 1 de dezembro de 1640, quando um grupo de nobres portugueses liderados pelo duque de Bragança, D. João, e o conde de Óbidos, D. Aires de Saldanha, tramou um golpe para restaurar a independência de Portugal. Nesse dia, o movimento conspiratório conseguiu depor o governo espanhol e proclamou D. João IV como rei de Portugal.

A notícia da restauração espalhou-se rapidamente pelo país, e o povo português abraçou com entusiasmo a causa da independência. O movimento ganhou força à medida que várias províncias e cidades declararam seu apoio ao novo monarca, e em pouco tempo, a restauração da independência tornou-se uma realidade.

No entanto, a Espanha não estava disposta a abrir mão de Portugal tão facilmente. Isso desencadeou uma série de conflitos conhecidos como a Guerra da Restauração (1640-1668). Durante quase 30 anos, Portugal lutou pela sua independência contra as forças espanholas, enfrentando desafios significativos.

A restauração da independência de Portugal finalmente foi reconhecida internacionalmente pelo Tratado de Lisboa em 1668, encerrando oficialmente a Guerra da Restauração. Com este tratado, a Espanha reconheceu a soberania portuguesa e o país retomou sua posição como uma nação independente.

A Restauração da Independência de Portugal foi um marco crucial na história do país. Ela representou a determinação do povo português em recuperar a sua autonomia e cultura, resistindo à dominação estrangeira. Além disso, consolidou a dinastia de Bragança no trono, que governou Portugal por séculos e desempenhou um papel fundamental na sua história.

Hoje, a Restauração da Independência é comemorada anualmente em Portugal no dia 1 de dezembro, como um feriado nacional, lembrando todos os portugueses do valor da liberdade e da independência que tanto lutaram para preservar. Essa página da história portuguesa é um lembrete perene da resiliência do povo luso e do seu compromisso com a sua nação.

Trackbacks

Nenhuns Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como Sequencial | Discussão

Nenhum comentário

Adicionar Comentários

Smilies normais como :-) e ;-) são convertidos em imagens.
Asteriscos à volta duma palavra (*palavra*) marcam-na como negrito, sublinhados são feitos com _palavra_.

Para evitar o spam por robots automatizados (spambots), agradecemos que introduza os caracteres que vê abaixo no campo de formulário para esse efeito. Certifique-se que o seu navegador gere e aceita cookies, caso contrário o seu comentário não poderá ser registado.
CAPTCHA

Form options